domingo, 2 de abril de 2017

A Saída

À mesa do jantar, nesta abastância de sabores

Perco o apetite.
Caio no mar
Quanto de mim espirra?
E quanto sobra para enviar?

Qual é o caminho?

Voa em direção à penumbra eterna
Dar o último gole, do último vinho
Segue no trilho da infinita caverna
Ou sustentar a morte com o amor.

Nenhum comentário: