sábado, 25 de maio de 2013

Envelhece a Cidade

Frio, muito frio nas ruas
Um cinza e um laranja amarelado mancham o chão
Frio, muito frio e ninguém.
Mas algumas pessoa vagueiam

Motocicletas passam errantes
Frio muito frio.

Lastro de pensamento
Quem me beija quem me quer
Beija me mal me quem
Mas não era nada enfim.

Errante como uma condenação
Segue mais pesado que tudo
Mais pesado que a mão
Mais frio que o coração.

Frio e suor e um cheiro humano
Tentaram-te um abraço
Um perfume novo e temporário
E aquele sorriso piedoso
O coração até se aquece, mas passa.
Motocicletas passam errantes.

Nenhum comentário: