sábado, 17 de novembro de 2012

Só mesmo Trindade


Estação Sto Amaro do Metrô
Escuta, o som dos trilhos
Mas não dá pra entender
O que ele tá querendo dizer

Tem gente com fone
tem gente com fone
tem gente com fone

Sobrevoa nas cabeças dispersas
Serpenteia-se por olhares perdidos
Uma pálpebra caída e um bocejo

Tem gente com fone
tem gente com fone
tem gente com fone

Numa tela de tinta homogênea
Pra que o preto, o branco, o marrom
É tudo muito cinza

Tem gente com fone
tem gente com fone
tem gente com fone

Uma mulher morde uma maçã
Um homem toma o seu pedaço
Mas aqui nunca foi o Edem

Tártaro metálico, homem bateria
Saúde e alegria é uma calunaria
Recolham o corpo esquartejado do Mário

Tem gente com fone
Tem gente com sono
Tem gente sem fome.

Só mesmo trindade
Para azedar esta verdade.

Nenhum comentário: