domingo, 15 de abril de 2012

As Horas Plenas

É necessária muita força,
ter consciência de si
E ainda ter motivos para sorrir.

É preciso muita constância
Determinação e relutância sadia
Para não se desesperar
com nossa própria miséria
E ainda viver bem o mesmo dia.

Em uma saudação de consternados
Com as aberrações que a palavra dita
Dissolve o coração amargurado
Aquilo que tudo de bom se colhe.

O silêncio da alma
O tumor dos desonrados.

- Honrai as suas loucuras senhores!
Pois já é inimigo da liberdade
A nossa teimosia aguda.
Assim diz o cavaleiro da nossa vontade
Brindando com água em copo descartável

Mais simples é a luz que bate no chão.

Nenhum comentário: