terça-feira, 6 de março de 2012

Zôom Lógon Echón

Uma traição aos meus próprios saberes
E a minha própria concepção de ir além
Joga-me de volta quando estamos
Refletidamente invisíveis no meio do caos

O universo me agradece
Mas dentre tantas coisas consideradas importantes
Eu fui surgir também
Cabe a ele sua decisão

De dentro pra fora
O fantástico miserável cérebro
De dentro pra fora
As cores e formas impositivas nos limitam
No de limite e dizem não:
Árvores, somente verdes
Águas, somente cristalinas
Tudo em três dados de dimensão
Cumprimento Largura Profundidade
Tudo em outro lado de dimensão
Cumprimento Largura e Razão
Profundidade obscurecida
Na profundidade ilusão

Conectar ao que
Largue lá o sentido purista das preposições
Sem saber como texto reto
Que sarcasmo e ironia é um defeito da visão

Era incrível aquele tempo em que falávamos
Tudo o que pouco pensávamos
Hoje penso mais coisas sobre meu prato de sopa
Do que sobre a sobra dos meus pensamentos

antrhopos míchaní
gynaíka míchaní
apò mechanés théos

Que saudades de ser animal que imaginava tudo.

Nenhum comentário: