terça-feira, 6 de março de 2012

Sinto sentir

Ah fogo que brilha por tantas coisas!
Clamo ao próximo dia como um próximo dia

Se houvesse uma embarcação para degustarmos a vida
Chamaria Menino

Saudade é uma imposição muito séria
Estou com saudades do sorvete que tomei esta tarde
E sinto falta da brisa que me bateu no rosto
Porque sempre importar com imposição
Sinto tristeza pela água que bebi uma vez transformada em amônia
Alegra-me a nuvem que passou lá no céu
Com cara de bebê e aspecto de algodão

Sinto cansaço pelas calçadas que pisamos
Pobres diárias o intactas o dia inteiro
Sinto pena dos pobres lençóis que só balançam
Mas se bem observo
Sinto inveja dos lençóis dançando ao som da música brisaica.

Andante assim, lentamente esvoaçada
Mexendo assim parece um samba
Fresca e com cores diversas
Ah varal, a epifania do conforto.

Na próxima vida quando houver pretendo ser um varal

Nenhum comentário: