quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Das desgraças do silêncio

Isabelle, que amava, permitiu todos os sinais

Preparou o café da manhã e foi trabalhar
No horário do almoço comprou-lhe roupas
À janta, levou flores e pôs num vaso ornamentado.

Borges comeu porque sentiu fome
Vestiu-se porque sentiu frio
E achou que a casa ganhou um aspecto campestre.

Dela ouviu-se um estampido e um choro
E foi para o túmulo sem saber e sem ouvir.

Nenhum comentário: