domingo, 18 de setembro de 2011

O mundo já é o bastante
Para os que nele vivem

Os que emparedam-se no chão
Ele é como é
Para o que carrega o espírito criança na mão
O mundo não há,
Hão.

Nenhum comentário: