terça-feira, 12 de abril de 2011

Diálogo Nativo

Por que fica difícil entender o pensamento indígena? Como estudantes de letras, nós do Coletivo Okara Poética percebemos que o mundo se constrói através da linguagem. É um pouco mais complexo do que isso, mas algum pensador aí disse que o nosso universo é a tradução mal feita do nosso pensamento. Podemos puxar isso daquela velha e já gasta idéia do mundo das idéias de Platão, que seria a representação daquilo que é perfeito.

Contestável ou não, o que eu quero dizer é que o comportamento indígena com relação ao seu mundo, ou ao nosso, não se subtrai através do excesso de comunicação falada. A linguagem indígena está muito mais ligada com o sentir a natureza e abstrair dela o que lhe confere de bom ou ruim. Em diversos contos indígenas podemos ver claramente essa relação homem-natureza, onde o índio se sente parte da terra, e logo, sente a necessidade de saber como se comunicar com ela, e como ela, a terra, se comunica com ele.

Outra característica importante e ao mesmo tempo interessante, e que explica também porque os nativos deste continente não sentem ou sentiram a necessidade de registrar a sua história, é que para o indígena não existe passado e nem futuro, e isso é uma das marcas de seus idiomas. Pode-se afirmar que em muitas culturas indígenas, na sua linguagem não se faz distinção entre passado e futuro da mesma forma que nós, porque para eles, o mundo é um constante e eterno "presente". Os seus ensinamentos se dão através da tradição oral, contando histórias de antepassados, e deixando nelas a marca de suas crenças. Pensando nisso, e depois de ter uma conversa com a minha companheira de projeto, eu me inspirei em escrever o poema a seguir, que leva o nome de Diálogo Nativo. Espero que apreciem:


Diálogo Nativo

Hum - fez o menino índio.
Nhã - fez o homem índio.
Hum nhã - replicou o indiozinho.

E saíram pela floresta.
Deram as mãos e admiraram o seu reflexo na natureza.

Que graça de som!
Que cor vermelha!
Que grande beleza!
Que vento fresco!
Que água pura!
Que fruta dura!
Que terra fofa!
Que sons amenos!
Levam os pensamentos para além!

Ouviram isso de um homem bem vestido
Ajoelharam e disseram Amén.

Nenhum comentário: