domingo, 18 de abril de 2010

XIV

Sem a concepção de ser quem eu sou eu ainda continuo existindo. Eu posso ser eu e mais outros tantos milhares dentro do corpo da minha própria solidão. Sofres de solidão? Pois eu sofro do mal de nunca poder estar sozinho e me obrigar a ser sempre a mesma pessoa.

Nenhum comentário: