sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Maia


Não
Eu não te quero conhecer
Pois o medo que tenho
De que tua aura angelical
Seja desfeita e infectada
Pela vil nossa imperfeição palatal
É tão grande ou mais
Que padecer diante de uma doença mortal

E antes prefiro morrer com a pureza de tua imagem
Do que viver a vida em angústia realidade.

Não
Não te quero conhecer.