domingo, 3 de agosto de 2003

Eis a Estrela (Para Manuel Bandeira)

Flagraram a Estrela
na plenitude de sua humilhação. 
Com um assaltante e um assassino
Encontrava-se fatigada e ofegante
Mas que importa?
Acharam a Estrela!


O delegado austero, fardado
Com o papel constituinte e todo o rigor de sua lei nas mãos
Bateu, gritou, xingou, cuspiu e prendeu os dois homens.
A Estrela
Fatigada e docemente delicada
Limpou-se na farda policial
Arrumou-se e foi ter com outro cliente.


Mas que importa?
Acharam a estrela da manhã!